Ano que vem, 2018, teremos eleições nacionais e estaduais para vários cargos. Os partidos políticos começam a escolher candidatos desde já, assumindo, mais uma vez, o papel de protagonistas do momento.

Não é à toa, já que os partidos políticos são centrais para todas as democracias.

Eles reúnem grupos de pessoas que têm ideias parecidas sobre qual deve ser o futuro do país.

Essas ideias se transformam em programas de governo, o que coloca os partidos sob os holofotes durante as eleições.

Para a surpresa de alguns, a história dos partidos políticos no Brasil é quase tão antiga quanto a história do próprio país.

É uma história colorida, repleta de acontecimentos e personagens importantes.

Que tal conhecer um pouco mais sobre a trajetória dos partidos políticos brasileiros? E, de quebra, ainda conhecer a história do nosso país?

Pois bem, vamos começar pelo começo…

 

  1. O Império (1822-1889)

 

Os primeiros partidos políticos brasileiros surgiram pouco tempo depois de nos tornarmos um país independente.

O Império foi um período muito importante para formação do Brasil como um país independente de Portugal.

A história divide o período em três momentos: o Primeiro Reinado (1822-1831), a Regência (1831-1840) e o Segundo Reinado (1840-1889).

Era uma época em que se tentava construir uma nova identidade nacional. Afinal, o que significava ser brasileiro?

Ao mesmo tempo, se faziam os primeiros esboços do que seria o sistema político do novo país.

Mini_Constituição_Política_do_Império_do_Brasil_1826

 

Foi durante o período da Regência que se fundaram os dois partidos políticos que marcaram a época: o Partido Conservador (1836) e o Partido Liberal (1837).

Os Conservadores defendiam o fortalecimento do Imperador (que representava o Poder Executivo) e menos autonomia para as províncias (os atuais estados).

Os Liberais, por outro lado, defendiam o fortalecimento do Parlamento (Poder Legislativo) e uma maior autonomia provincial.

Apesar das diferenças, os dois partidos ainda eram muito parecidos um com o outro.

O voto, na época, era censitário, o que significava que apenas homens ricos podiam votar.

Por isso, os dois partidos representavam os interesses de um mesmo grupo de eleitores: proprietários de terra e donos de escravos.

Não é à toa que os dois partidos tinham propostas tão parecidas! Um ditado conhecido da época dizia que “nada é mais Conservador que um Liberal no poder”.

Imperador Dom Pedro I
Imperador Dom Pedro I

Outros partidos menores também surgiram durante o Império.

Em 1831, após a abdicação do Imperador Dom Pedro I, fundou-se o Partido Restaurador (ou Caramuru), que pedia o seu retorno ao trono imperial.

No entanto, com a morte de D. Pedro I em 1834, o partido rapidamente deixou de existir.

O Partido Republicano Paulista (PRP), considerado o partido brasileiro que passou mais tempo em atividade, foi fundado ainda no período imperial, com a Convenção de Itu de 1873.

Durante anos, o PRP seria o protagonista do novo movimento republicano. Foi o primeiro dos partidos provinciais da Primeira República (1889-1930).

A proclamação da República, em 1889, traria o fim dos dois principais partidos imperiais.

 

  1. A República Velha (1889-1934)

 

No dia 15 de novembro de 1889, o Brasil se tornou, pela primeira vez, uma república.

Assim, a monarquia do Império ficou para trás e, com ela, os partidos políticos passaram por algumas mudanças radicais.

O Partido Republicano Paulista, fundado ainda em 1873, deu o tom do cenário partidário da jovem república: partidos provinciais, sem alcance nacional, apoiados no poder por eleições fraudulentas.

Assim, a Primeira República (1889-1930) foi marcada pelo chamado “Café-com-Leite”, em que o PRP e o Partido Republicano Mineiro (PRM) se alternavam na Presidência da República e atuavam em benefício das suas respectivas elites econômicas locais.

Política café-com-leite ilustrada na capa da Revista Careta, Agosto de 1925, nº 809, por Storni.
Política café-com-leite ilustrada na capa da Revista Careta, Agosto de 1925, nº 809, por Storni.

Durante esse período, surgiram os primeiros partidos ideológicos brasileiros.

Em 1922, foi fundado o Partido Comunista Brasileiro (PCB), liderado por Luís Carlos Prestes. Na Intentona Comunista, de 1935, tentaram, sem sucesso, tomar o poder.

Já em 1932, fundou-se a Ação Integralista Brasileira (AIB), partido inspirado no fascismo italiano. A AIB teve sua própria tentativa de golpe de Estado, em 1938, mas também fracassou.

Luis Carlos Prestes, idealizador da Intentona Comunista
Luis Carlos Prestes, idealizador da Intentona Comunista

Em 1937, o sistema partidário mudou radicalmente: o então Presidente Getúlio Vargas deu início a uma ditadura, o que ficou conhecido como o golpe do Estado Novo (1937-1945).

Nesse período, os partidos políticos foram proibidos, com os poucos que sobreviveram levados à clandestinidade.

O fim do Estado Novo, em 1945, trouxe um novo regime democrático, que ressuscitou os partidos políticos brasileiros: o chamado Período Democrático (1945-1964).

Na segunda parte do nosso artigo sobre a história dos partidos brasileiros, você vai saber tudo sobre os partidos getulistas, o período da Ditadura Militar (1964-1985) e as origens de alguns partidos que conhecemos nos dias de hoje!

Nos vemos lá!

Texto originalmente escrito por Rafael Paraíso!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPresidente ou Primeiro-ministro? Entenda a diferença
Próximo artigoSaiba a importância das agências reguladoras para o seu dia-a-dia
Haína Coelho
O que eu mais gosto de fazer é aprender. Por isso, apesar de a minha área acadêmica ser Ciência Política, estou sempre buscando novos aprendizados ou maneiras de aprofundar os assuntos que sei (cursos online, minha paixão). Tenho uma infinidade de hobbies, mas isso não significa que eu seja boa neles. Meus pais são professores, então educação sempre esteve na minha vida. Eu também amo passar conhecimento para que outras pessoas aprendam. Quando conheci o Politiquê?, que lida com educação E política, eu quis logo entrar! Fui embaixadora da Ação nas escolas, e me convidaram para ser membro do projeto. Eu trabalho com as coisas organizadas e fico nervosa se não estiverem assim (mas não olhem minha mesa), e disso era o que a equipe estava precisando. Hoje, não só ensino como aprendo com o Politiquê?, e sigo querendo que mais e mais jovens venham por esse caminho! :)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA